Friday, January 21, 2005

AMARGO DEMAIS PRA LIDAR COM CU DOCE

eu acho que isso deve ter alguma coisa a ver com as costeletas de wolverine,
mas esse 2005 chegou com uma inclinação natural à poda das pontas soltas
todas aquelas coisas que só eram mantidas pra uso futuro
encontraram - todas - um uso presente: morrer.

desculpa, mas é que eu não tô com saco pra fingir de agradável.
existem casos e casos
e, se eu não te ligo já faz um tempo,
pode ser que você tenha morrido no meu mundo.
se você me liga e eu não te atendo,
é porque a vela na sua tumba já apagou, baby.
lembra de todas aquelas coisas que eu disse que ia perdoar e esquecer?
então... eu achei melhor cortar pela raiz
extirpar e esquecer

esses dias me apareceu uma ex-namorada, do nada
e foi quando isso rolou que a ficha caiu
depois que eu disse o que disse
(e o que eu disse não foi nada agradável, wolvie)
parei pra pensar na estupidez de tudo aquilo.

deve ser porque eu não grito de dor
porque eu não fico chorando minhas mágoas pelos cantos
ou porque eu prefiro ameaçar bater a, de fato, bater.

então, fuck-off mode on:
"pra mim, você é meio como satanás, sabia?"
não, ela não sabia...
"é assim: pra mim, você não existe
e, se existir, eu só espero que não apareça na minha frente"

em outras palavras
SUMA.

0 Comments:

Post a Comment

<< Home